Voltar  |  Home  |  Email
 
   
 

Cotia e suas tradições

 

FOLIA DE REIS

(01) Dança portuguesa aparentada com a chacona ou a passacaglia, cujo tema, muito conhecido como folia de Espanha, originou numerosas variações. Nas Beiras, procissão de homens que cantam os louvores do Espírito Santo.
(02) No Brasil, bando precatório de rapazolas brancos, crioulos e mestiços, vestidos de branco, que pedem esmola para a Festa do Divino ( Folia do Espírito Santo) ou dos Reis Magos (Folia de Reis). Levam cavaquinho, violões, pandeiro, pistão e tantã e cantam às portas das casas, recebendo esmolas e refeições.
(03) Na História, a folia era uma dança arcaica dórica, com danças e cantos, em honra de Dionísio, cujos coros foram a origem do teatro grego.
Pesquisa: Enciclopédia Delta Larousse

 

CONGADA

Conheça a palestra de João Barcellos sobre a Congada

 

MACULELÊ

 

Conheça o depoimento do Mestre Baiano Anzol sobre o Maculelê.



CATIRA

Dança também chamada de catererê, provavelmente de origem africana, encontrada em Minas, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Goiás e São Paulo. Caracteriza-se por acompanhamento de viola, palmas e sapateado.

 

 

SÃO GONÇALO

A devoção a São Gonçalo vem de Portugal.
É casamenteiro e padroeiro dos violeiros.
Sua dança é difundida em Minas, Goiás, Bahia, Nordeste e São Paulo.

 

O folclore é a expressão máxima do sentir, do pensar, do agir de uma sociedade e de um povo.
Grupos de seres humanos recebem constantemente as mais variadas informações e influências de seus ancestrais e de imigrantes que, fixando-se em um determinado local, traz consigo uma bagagem enorme de lendas, tradições, usos e costumes de um povo.
Nosso país é povoado por inúmeros grupos humanos que trouxeram de diversas partes do globo, características específicas das regiões onde povoaram.
Em Cotia, grande parte das famílias é descendente de europeus, asiáticos e africanos, assim, somos privilegiados por termos em nossa terra, uma enorme mistura de raças, povos e culturas distintas.
Por volta de 1.700, viajantes que se deslocavam de São Paulo a Vila de Sorocaba, faziam estadia aqui, descansavam e se alimentavam. Nas margens da estrada, iniciou-se uma discreta povoação que futuramente se chamaria COTIA.
Os estradeiros traziam consigo fortes influências de sua terra natal, disseminando, ao longo dos anos, fortes e predominantes características folclóricas decisivas nas vidas daquela gente que ali se instalou.
Iniciou-se, então, a preservação de ritos, danças, folguedos e brincadeiras folclóricas, onde, até hoje, resistem bravamente ao tempo e ao espaço.
Uma das danças que sobreviveram ao tempo é a de São Gonçalo, que tem como principal característica, o pagamento de promessas das moças que não conseguiam arrumar casamento. As jovens cantavam assim:


SÃO GONÇALO DO AMARANTE
CASAMENTEIRO DAS VELHAS
POR QUE NÃO CASAIS AS MOÇAS
QUE MAL FIZERAM ELAS?

São Gonçalo do Amará (Amarante): é representado à moda das vestimentas camponesas portuguesas da época, ou seja: calção preso pouco abaixo do joelho, meia preta, bota braguesa (para andar em local úmido), chapéu na cabeça, capa azul nas costas e viola na mão.
A justificativa encontrada para a representação do Santo com estas vestes, deve-se ao período que estava em construção uma ponte na região onde viveu, ele ajudava na construção e após ia tocar viola para a conversão dos "pecadores", e não tinha tempo de trocar de roupa.
São Gonçalo Padre: é representado de batina, crucifixo no pescoço, chapéu de padre, sapatos (que não eram sapatos comuns, pois tinham pregos que furavam seus pés e servia de penitência durante a celebração de sua missa, onde cantava, tocava e dançava) e viola.
Em Cotia, há décadas, a Companhia de São Gonçalo de Caucaia do Alto, foi tomando grandes proporções, e hoje, arrasta uma quantidade enorme de pessoas nas suas apresentações, iniciando por volta das 22:00 horas e encerrando somente na manhã do outro dia.
Outra manifestação popular em nosso município são as Folias de Reis. O bairro do Moinho Velho e Caucaia do Alto são duas regiões onde até hoje preservam a folia e seus foliões.
A folia de reis significa a peregrinação da viagem dos três Reis Magos a Belém em busca do Deus-Menino. Bem curiosa é manifestação e evolução, folguedo natalino. A folia de Reis faz seu giro pelas casas no período compreendido entre o Natal e o dia 06 de janeiro, (dia de Santos Reis). Vale lembrar que o Brasil é um país continental, portanto, cada região possui características próprias, razão pela qual, o mesmo folguedo ganha roupagem diferente, variando de região para região.
O chefe da folia é o ALFERES, que conduz a lapinha (representação diante de um presépio) e recebe as esmolas. Em alguns grupos aparecem os mascarados: PALHAÇO, PAI JUÃO, CATIRINA, MOCORONGO E BASTIÃO. Eles são chamados de espias do rei Herodes.
Segundo a tradição, quem acolhe os reis visitantes é abençoado. As pessoas das casas são acordadas com cantos e oferecem-lhes comida e bebida ao grupo. Um dos cantos é:


ACORDAI, SE ESTAIS DORMINDO,
LEVANTAI SE ESTAIS ACORDADO,
VENHA VÊ OS TREIS REIS
NA SUA PORTA ESTÁ CHEGANDO.

Temos também em nosso município o tradicional grupo da Congada de São Benedito, onde lutam até hoje para não deixar naufragar uma festa tão espontânea e alegre. Grande parte dos homens e mulheres que, com braços fortes, ainda carregam o estandarte da tradição, estão instalados na Vila São Joaquim em Cotia. Eventualmente se apresentam em cortejos espalhados por todo o Estado de São Paulo.
A congada foi adaptada no Brasil Colônia, na época dos vice-reis, do Ceará ao Rio Grande do Sul, onde foi extraída da epopéia clássica francesa: Canção de Rolando.
Foram os jesuítas que trouxeram ao Brasil como forma de catequização, pois se criava para o índio, uma luta irreal entre os cristãos e os mouros.
Dois grupos de negros são formados, um veste azul, que significa o bem, os cristãos; já o outro grupo, veste vermelho, que significa o mal, representam os mouros. O bem sempre vence a batalha, ou seja, os cristãos.
A festa é feita pelos dois grupos em louvor a São Benedito, o padroeiro máximo dos negros no Brasil. As violas, o canzá (reco-reco), caixas e tambores acompanham os cantadores.
A congada é um dos mais notáveis bailados populares do Brasil, sendo atração fundamental em qualquer festa do Divino Espírito Santo, com canções épicas da catequese em terras brasileiras.
Não posso deixar de registrar o Maculelê, uma manifestação de forte expressão dramática, que destina-se aparticipantes do sexo masculino. Dançam em grupo, batendo as grimas (bastões) ao ritmo do atabaque e ao som de cânticos em linguagem popular, ou em dialétos africanos, seu ritmo vibrante contagia a todos.
É difícil de precisar quando surgiu o Maculelê no Brasil, porém, há registros indicando que nasceu na África por volta do século XVIII, e teria vindo se instalar nos canaviais da cidade de Santo Antonio da Purificação, no reconcavo Baiano onde, até hoje, após duzentos anos, ainda tem grande expressão folclórica.
O Maculelê é uma dança coreográfica, formada em círculo, com uma dupla de figurantes movimentando - se no seu interior sob o comando do mestre do Maculelê. Tal celebração profana, comemora - se o dia de Nossa Senhora da Purificação, a Santa Padroeira da Cidade.

BOA NOITE PARA QUEM É DE BOA NOITE
BOMDIA PARA QUEM É DE BOM DIA
ABENÇÃO MEU PAPAI ABENÇA
MACULELE É O REI DA VALENTIA

Em Cotia há também outras tradições que, pelo contingente de pessoas envolvidas desde o início até o final de sua montagem, merecem todo nosso respeito e nossa atenção.
Abaixo segue alguns grupos e festas importantes do município:
. Violeiros (Casa dos Violeiros de Cotia)
. Artesanato tradicional (Bambu e cipó)
. Romarias (Caucaia do Alto, Cotia e Granja Vianna)
. Comitivas de Cowboys
. Grupos da Terceira Idade
. Imigrantes japoneses
. Padroeira de Cotia (Nossa Senhora do Monte Serrat)
. Festa das Crianças (12 de outubro)

 

 

 


 
   

Idealizado por:
CRISTINA OKA & AFONSO ROPERTO
Última atualização: 15 February, 2002