Voltar  |  Home  |  Arquivo  |  Email
 
   
 

Carro-de-boi:
o primeiro carro conceito

Sobre o carro

Um carro de madeira, movido a boi.
O que se vê ainda hoje em alguns lugares, os protótipos, tem como matéria prima mais comum o cedrinho e a canela branca.
Os carros de boi de antigamente eram de
cabreúva (principalmente as rodas), jacarandá ou jatobá.

Seo Emídio Rodrigues da Silveira. Ituano. Deve ter mais de oitenta anos, rijo e forte, caprichoso com a madeira como ele só, fez o belíssimo telhado de nossa casa, e aí descobrimos a arte dele de construir carros de boi. Quis complementar a estória de nosso livro sobre romaria, contando o carro de boi que aparece em nosso livro é o dele, só que com pessoas que posavam na frente emprestado. Hoje faz alguns carros de boi em miniatura, maravilhosos, puxando uma carga de madeira, o barril de pinga, ou talvez uma partida grande de milho. Está há cinqüenta e um anos em Caucaia. Tem lembranças da infância ituense, com as cargas sendo transportadas à noite por causa dos fiscais, e o pai chegando na madrugada com aquele movimento das tropas. O amor à madeira, esse vem desde o avô, José Alferes da Silveira, um artista da madeira. Seo Emídio conta que o pai aprendeu o ofício e ele e outros irmãos também. Na época da guerra, seo Emídio puxou, com mais um irmão, os postes de telefone de Itu para Cabreúva. O sertão foi sendo desbravado com a força das juntas de boi, que iam e vinham em seu ritmo, que é outro modo de contar o tempo. Viagens eram demoradas, as paradas idem, o destino era sempre muito mais longe que nos parecem nos tempo atuais. Mas esses homens e suas maravilhosas engenhocas primitivas, conduziam não apenas a si próprios, mas cargas que faziam a riqueza e alegria dos lugarejos.
Seo Emídio contou que já teve parelhas que puxaram dois mil e poucos quilos. Uma junta são dois bois e seo Emídio já trabalhou com doze juntas.
Se Deus permitir, seo Emídio quer ainda partir à Romaria com seu carro de boi. Participou já com 3 ou 4 carros de boi um dia, com 4 ou 6 juntas de bois, mais ou menos em 1958. Parou, recomeçou em 74 e parou de novo.

Fotos do acervo particular de Seo Emídio

Partes/componentes de um carro de boi

Pinos que vão na mesa: fueiro
Pino que fecha canga: chaveto
Correia que prende chifres: chifradeira
Antes e em MG usam cravos na roda
Tem o pião para não derrapar
Lata que envolve a roda: argolão. As rodas ainda podem ter cravos, como se usava antigamente e em alguns lugares de MG.
Argola nas orelhas do boi eram tradição, para dificultar a fuga dos bois da canga. Os chifres também usavam a soga (corda no chifre).


 
   

Idealizado por:
CRISTINA OKA & AFONSO ROPERTO
Última atualização: 21 February, 2002